terça-feira, 12 de setembro de 2017

Consciência de si

Foi dito que cada consciência é a imagem do que está acima dela e o modelo do que está abaixo dela; isso significa que , sem sair de sí mesma, ela pode conhecer tudo o que existe . Mas, ao abrir diante de nós o infinito, a consciência nos mostra a miséria de todas as nossas aquisições. Para que serviria a consciência se ela encerrasse o eu em seu próprio cerco ? No entanto, ao revelá-la, ela nos convida incessantemente a superá-la. E é por ser desinteressada que ela nos livra de nosso apego a nós mesmos e, por conseguinte, de nossos limites.
- Louis Lavelle


sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Cegos

"Diz-se a um cego, estás livre, abre-se-lhe a porta que o separava do mundo, vai, estás livre, tornamos a dizer-lhe, e ele não vai, ali ficou parado no meio de rua, ele e os outros, estão assustados, não sabem para onde ir, é que não há comparação entre viver num labirinto racional, como é, por definição, um manicômio, e aventurar-se, sem mão de guia nem trela de cão, no labirinto dementado da cidade, onde a memória para nada servirá, pois apenas será capaz de mostrar a imagem dos lugares e não os caminhos para lá chegar." - José Saramago.

Mateus, 15:14 - “Deixai-os; são cegos condutores de cegos. Ora, se um cego guiar outro cego, ambos cairão na cova."



sábado, 15 de julho de 2017

Eremitério

Coisas que poucos explicam a finalidade, seja por desconhecimento histórico , desconhecimento da literatura espiritual e mística ou ausência de espiritualidade. Asoka após se converter ao Budismo construiu centenas, talvez milhares de eremitérios - locais na quais os interessados pelas coisas divinas isolam-se do mundo e se preparam 'a santificação. Não foi só ele quem construiu...tais locais estão espalhados pelo mundo, e suas construções se perdem no tempo




sábado, 1 de julho de 2017

Verdadeiros Homens


Os Verdadeiros Homens dos tempos antigos não sabiam nada a respeito do amor à vida nem do ódio à morte. A entrada na vida não lhes causava nenhuma alegria; o sair dela não despertava nenhuma resistência. Serenamente eles iam e vinham. Não esqueciam qual havia sido sua origem e não inquiriam sobre seu fim. Eles aceitavam a vida e a desfrutavam; passavam por cima do medo da morte e retornavam a seu estado anterior à vida. Dessa maneira, havia neles o que se chama ausência de toda intenção de resistir ao Tao e ausência também de qualquer esforço através do Humano para estar entre os Celestiais. Assim eram aqueles que são chamados Verdadeiros Homens. Suas mentes estavam livres de todo pensamento; sua conduta era tranqüila e estável; suas testas irradiavam simplicidade, Qualquer frieza provindo deles era como a do outono; qualquer calor provindo deles era como o da primavera. Sua alegria e raiva assemelhavam-se ao que vemos nas quatro estações. Eles agiam em relação a todas as coisas de maneira apropriada e ninguém podia conhecer o alcance dos seus atos.

- Chuang Tzu. Livro VI, Parte 1

Eu quero, tú deves

Democracia e espiritualidade não combinam. O "eu quero" são princípios de prazer ou impulsos primitivos de um homem (ou mulher) primário resumindo as duas primeiras finalidades ( os principios do prazer em Freud), e distantes da espiritualidade, que os homens vivem e lutam em acordo com a doutrina do Yoga : amor/prazer ; poder/sucesso . Ordem/virtude (o Dharma) e libertação da ilusão são os ultimos estágios espirituais, com seus deveres. O "eu quero" com sua liberdade de escolha produz direitos que cada vez mais dissociam um individuo do outro, sendo tal consequencia a principal caracteristica na espiritualidade no ocidente infestado de direitos, produtos do desejo. Tal ato de escolha produz experiencias que realimentam o ego que por outro lado torna o individuo estritamente responsável por suas escolhas no sentido da finalidade espiritual , enquanto o separa do outro, da natureza e do divino. O caminho é duro e individual , ao contrário da espiritualidade oriental na qual métodos e práticas tradicionais procuram a extinção do ego rumo 'a união divina,e por isso o desejo inexiste e a vontade não é mais dele. O espiritualista oriental considera necessário ultrapassar a infantilidade do "eu quero" rumo 'a responsabilidade do "tú deves". Aqueles ligados ao "eu quero' são infantis e estão no 1 passo, rudimentar, do humano. Aqueles ligados ao "tú deves" estão nos ultimos passos.

sexta-feira, 9 de junho de 2017

No princípio era o verbo,

«No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.» (João 1:1)
"Toda tentativa de provar que a vida se formou por acaso, tão logo certos fatores se combinaram nas proporções adequadas para produzi-la, sem que nenhuma causa inteligente os impelisse a tanto, está condenada na base. Quanto mais a afirmam, mais proclamam, sem o perceber ou sem admitir que o percebem, que o composto só adquiriu força geradora de vida graças, justamente, às proporções, à razão matemática entre seus elementos; e que essa proporção, se teve o dom de produzir esse efeito no instante em que os elementos se encontraram -mesmo admitindo-se que se encontraram fortuitamente-, já o possuía desde muito antes desse instante, já o possuía desde toda a eternidade. E basta saber o que significa razão ou proporção -“ratio”, “proportio”, “eidos”, “logos”- para entender que nenhuma proporção pode valer sozinha e isoladamente, fora da ordem matemática integral entre todos os elementos possíveis.
Se determinada combinação de elementos pôde gerar determinado efeito, é porque o sistema inteiro das relações e proporções matemáticas que moldavam e determinavam essa possibilidade preexistia eternamente à sua manifestação. No princípio era o “logos”, e não há nada que o apelo ao acaso possa fazer contra isso."

*Só não enxerga quem estiver profundamente cego de alma, espiritualmente MORTO.

domingo, 4 de junho de 2017

Tianeu



"Eu rezo para que a retidão possa imperar, para que as leis permaneçam intactas, para que o sábio seja pobre e os outros, ricos, mas honestamente"

 - Tianeu


quinta-feira, 1 de junho de 2017

Avalon

"Aqui jaz enterrado o famoso Rei Arthur da Ilha de Avalon" . 
Em 1191 Giraldus Cambrensis relatou que o abade Henry de Sully encomendou uma busca na qual foi encontrado um grande tronco de carvalho oco contendo em seu interior 2 esqueletos, 'a uma profundidade de 5 metros. Acima do tronco havia uma pedra com uma cruz de chumbo com as inscrições " Hic iacet sepultus inclitus rex Arthurus em insula Avalonia" . 
Era o túmulo do lendário Rei Arthur e da Rainha Guinevere. 
Hoje o local continua em ruinas causado pelo cisma de Henrique VIII contra a igreja Católica ,conhecido como Abadia de Glastonbury,que continua recebendo raros peregrinos que presenciam ruinas da primeira igreja cristã na Europa, anterior a de Roma, fundada sobre outras antiquissimas ruínas celtas , por José de Arimatea, tio de Jesus, enviado pelo Apóstolo Felipe aproximadamente no ano 63 de nossa era dando inicio 'a expansão do cristianismo pelo mundo pelos 120 seguidores dEle após sua ascensão ,alem do inicio das diversas lendas sobre o cálice sagrado , o Graal que Arimatea levou.


quinta-feira, 25 de maio de 2017

Anaximandro de Mileto


Arché é a realidade primeira e ultima de tudo . Physis é a materia de tudo que existe, uma caracteristica de Arché. Cosmos é a ordem de tudo e Logos a razão que organiza tudo. O pré socratico Anaximandro de Mileto foi um dos pioneiros nas escolas de filosofia gregas a tentar explicar o Universo, considerando que o Ápeiron, o indeterminado, era a realidade ultima, invisivel e ilimitada além de infinita, fonte e retorno de tudo, que não se identifica com nada , espacialmente indefinida e qualitativamente indeterminada. Caracterizado por movimento eternamente espiralado,um redemoinho, um vortice ,de Arché separa-se algo massivo que forma os opostos tais como quente e frio, seco e umido,claro e escuro etc. Dá origem a uma esfera ignea, rodopiante, que mais leve que o ar central que envolve a formação cosmica,está acima . O vapor produzido da esfera pela pressão do proprio aquecimento no ar com a esfera de fogo , produz a ruptura da esfera em diversos pedaços com a forma de anéis rodopiantes, produzindo todo o cosmo. A unidade é rompida, a diversidade surge, a multiplicidade contrastante aparece. O destino de todos é a morte , retornando 'a origem de seus proprios nascimentos. Assim nasceu a primeira injustiça do infinito: a ruptura da unidade, e o pagamento (expiação) é a morte, a dissolução e retorno por ter infringido a ordem (a lei universal da justiça).


quinta-feira, 20 de abril de 2017

Notzrim

Na tradição rabínica, Notzrim éra o nome dado a certo movimento religioso na antiga Galiléia , onde seus personagens se chamavam de Notzri, equivalente a nazaraios ou naziraios (em grego)- nazareus, nazarenos, em sua raiz significando "manter-se separado" no sentido em consagrar-se a Deus - são os contemplativos ; ou seja, os dotados de caracteristica profundamente mistica-religiosa , comum na historia da religiosidade áqueles que buscam o sagrado, atingindo o ultimo estágio na alta espiritualidade : a contemplação.
Já naquelas épocas, cerca de 2200 anos atrás, existiam dezenas de seitas gnosticas e grupos religiosos, como os Terapeutaes, Essênios, Nazars - esses caracterizados por uma vida isolada e independente de comunidades como a que caracterizava a essenia , que também diferia por possuir sacerdocio, com costumes como o uso de cabelos e barbas compridos, tunicas de comprimento até o chão com uma corda envolvendo a cintura.
Um conhecido nome bíblico que descreve tal caracteristica é Sansão.
Outra caracteristica de muitos personagens desses grupos religiosos e gnosticos era o ascetismo, uma exigencia comum auto-imposta aos que seguem o caminho da alta espiritualidade, como os yogues, monges budistas e outros.Um dos livros gnosticos encontrados em Nag Hammadi descreve um dos maiores nomes da espiritualidade como casado e pai de alguns filhos, uma contradição enganando facilmente quem desconhece os caminhos na alta espiritualidade e desconstruida pelos costumes religiosos descrita anteriormente, além de tal livro ter sido escrito muitos seculos após o surgimento desses grupos religiosos e desse personagem:
Jeshu ha-Notzri , ou Jesus o Nazar.

Nessa tradição rabinica, Notzrim são os primitivos cristãos..



quinta-feira, 13 de abril de 2017

Vocação mística ?

Os primeiros sinais são sempre os mesmos ao longo da historia da humanidade e em todas religiões ou sistemas religiosos : busca a solidão ; pensamentos profundos ou na maior parte do tempo em estado meditativo ; ar distante e também da grande massa ; está sempre " 'a um passo da transcendência "   pois é o que lhe move ; as vezes profético (intuitivo) .




Mysterium tremendum



Estranhamente tanto atrai quanto repele. Uma experiencia com o numinoso, é um inicio de uma vida com um sentido  religioso. Brota a mística, e fascina. 
Meister Eckhart falava na vivencia de um modo em se portar desprendido do mundo , e com isso aproxima-se do misterioso.
 Não como um modo negativo perante a vida, base de muitas seitas gnosticas, mas como motivação propulsora ao " homem religioso" . 
Esse homem é silencioso.


quarta-feira, 12 de abril de 2017

Ascese Cristã

 " o ser enquanto Ser é bom" - Santo Agostinho . 

-No cristianismo não há um poder ou principio criador do mal . O que há é a negação da espiritualidade, caindo a alma no materialismo. Significa o não-ser : a alma se desliga do espirito, se corrompe, cega-se pelo materialismo,cria o mal; não-ser é o mal. Dessa forma, não cabe o maniqueismo proprio de um gnosticismo. É a deformação da (boa) criação .






* Nas experiencias extáticas, a alma une-se ao principio criador (Deus) . São raras , e conforme Plotino chamava : "voo do um para o Uno " que só ocorre na "graça" (cristianismo) , jamais forçadas - ou seja, quando o principio transcendental apreende a mente em extase. Torna-se "semelhante a Deus" (cristianismo) . O caminho da ascese mística é dificilimo : passa pelas virtudes, Ética e purificações.

quinta-feira, 23 de março de 2017

Tecnologia

"A tecnologia é um meio anormal de adaptar as pessoas a um ambiente anormal criado pela tecnologia." 

(Jacques Ellul)




sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Guerras e Revoluções

As guerras e as revoluções - há sempre uma ou outra em curso - chegam, na leitura dos seus efeitos, a causar não horror mas tédio. Não é a crueldade de todos aqueles mortos e feridos, o sacrifício de todos os que morrem batendo-se, ou são mortos sem que se batam, que pesa duramente na alma: é a estupidez que sacrifica vidas e haveres a qualquer coisa inevitavelmente inútil.
Todos os ideais e todas as ambições são um desvairo de comadres homens. Não há império que valha que por ele se parta uma boneca de criança. Não há ideal que mereça o sacrifício de um comboio de lata. Que império é útil ou que ideal profícuo?
Tudo é humanidade, e a humanidade é sempre a mesma - variável mas inaperfeiçoável, oscilante mas improgressiva. Perante o curso inimplorável das coisas, a vida que tivemos sem saber como e perderemos sem saber quando, o jogo de mil xadrezes que é a vida em comum e luta, o tédio de contemplar sem utilidade o que se não realiza nunca - que pode fazer o sábio senão pedir o repouso, o não ter que pensar em viver, pois basta ter que viver, um pouco de lugar ao sol e ao ar e ao menos o sonho de que há paz do lado de lá dos montes.

Fernando Pessoa:  "Livro do Desassossego"